Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho inicia campanha itinerante pela preservação da espécie

O Projeto tem a realização da Fundação Mamíferos Aquáticos e é patrocinado pela PETROBRAS, através do Programa Petrobras Socioambiental e apoio do Governo Federal. A campanha percorrerá 31 praias do litoral paraibano até o final deste semestre.

O peixe-boi marinho (Trichechus manatus manatus) é atualmente o mamífero aquático mais ameaçado de extinção no Brasil. Desde fevereiro, a Fundação Mamíferos Aquáticos (FMA) está percorrendo o litoral da Paraíba, local onde está atuando com o Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho - patrocinado pela PETROBRAS, através do Programa Petrobras Socioambiental e apoio do Governo Federal – para sensibilizar a população sobre a importância da conservação da espécie no Nordeste do Brasil. Trata-se de uma campanha itinerante de sensibilização e informação intitulada “Ajude a preservar o peixe-boi marinho”, que, até junho deste ano, estará aportando em 31 praias de nove municípios da região.



Sabe-se que um dos principais motivos para que o peixe-boi marinho ocupe o status de criticamente ameaçado de extinção no país são os impactos ambientais provocados pelo homem. Lixo, esgoto e substâncias tóxicas lançadas nos mares e nos rios, circulação intensa de embarcações motorizadas nos locais de ocorrência da espécie, degradação dos manguezais, destruição da mata ciliar, construções desordenadas em praias e estuários, perda de habitat (estuários e áreas costeiras), captura acidental em redes de pesca. Todos estes fatores colocam em risco o ambiente, a saúde e a vida da espécie.
       
 Jovens da Aldeia Galego, na Baía da Traição, participam da sensibilização
“A falta de conhecimento sobre o assunto pode trazer uma série de consequências negativas ao animal e ao seu habitat. Estamos tentando reverter esta situação, percorrendo o litoral paraibano com uma equipe especializada - formada por profissionais das áreas de Oceanografia, Biologia e Medicina Veterinária - para trocar informações sobre o peixe-boi marinho com o público. Estamos abordando colônias de pesca, pescadores, moradores locais, donos de pousada e estabelecimentos comerciais, gestores ambientais, turistas, professores e estudantes”, diz João Carlos Gomes Borges, diretor-presidente da FMA e coordenador executivo do Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho, que é patrocinado pela PETROBRAS, através do Programa Petrobras Socioambiental.


 Pescadores de Lucena aderem à campanha de preservação do peixe-boi marinho
O cronograma de visitas da campanha “Ajude a preservar o peixe-boi marinho” inclui praias dos municípios de Rio Tinto, Baía da Traição, Marcação, Lucena, Mataracá, Cabedelo, Conde, João Pessoa e Pitimbu.  “Acredito que este movimento está sendo muito válido. Nas nossas visitas, percebemos que muitas pessoas não têm informações suficientes sobre o peixe-boi marinho. Dizem que ele é dócil, aproxima-se com facilidade, mas acham que podem tocar, alimentar. Elas não têm a consciência de que isso traz problemas ao animal e nem que ele está ameaçado de extinção”, diz  Gisela Sertório, educadora ambiental do Projeto Viva o Peixe-boi Marinho.


A educadora ambiental diz que, de forma geral, o público abordado têm se mostrado receptivo e muita gente têm interesse em ajudar, sobretudo os pescadores, os diretores das escolas, gerentes de restaurantes. “As pessoas que mais interagem são de localidades pequenas que lidam diretamente com o mar, a exemplo de colônias de pesca e comunidades indígenas litorâneas. Elas compartilham histórias e observações sobre comportamentos dos peixes-bois marinhos. Em todas as comunidades, estamos distribuindo camisas e bonés com o tema da campanha para quem tem interesse em ser um colaborador e queira divulgar a mensagem de preservação”, complementa Gisela.


  
 A campanha também está orientando a população sobre proceder em casos de encalhe. Para tanto, cartazes estão sendo distribuídos em locais estratégicos (colônias de pesca, restaurantes, pousadas, postos de saúde, postos de polícia, mercados, escolas e etc.). A orientação para caso alguém encontre um peixe-boi marinho ou qualquer mamífero aquático encalhado (vivo ou morto), é comunicar primeiramente ao órgão ambiental atuante na região ou entrar em contato com a própria FMA, pelos telefones: (83) 9961-1338/ (83) 9961-1352/ (81) 3304-1443. Se o animal estiver vivo, siga as seguintes recomendações: 1- Se estiver exposto ao sol, proteja-o fazendo uma sombra; 2- Não o alimente e nem tente devolvê-lo à água; 3- Evite aglomeração a sua volta. 


Foto 1: Luciano Candisani/ Acervo FMA.
Fotos 2, 3, 4 e 5: Acervo FMA.