Interação entre peixes-bois marinhos selvagem e reintroduzido anima pesquisadores


No dia 10 de junho, durante uma saída de campo para realização de monitoramento de peixes-bois marinhos reintroduzidos no estuário da APA da Barra do Rio Mamanguape, os técnicos do Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho (PVPBM) e da APA conseguiram registrar uma cena inusitada: um peixe-boi marinho selvagem estava interagindo com Mel, uma fêmea reintroduzida bem conhecida na região, em um comportamento que demonstrava evidências de cópula. Na foto, é possível ver o peixe-boi marinho selvagem com a parte superior do corpo para fora da água numa tentativa de interação com Mel. O fato deixou os pesquisadores que trabalham pela conservação da espécie bastante animados e esperançosos.

“A interação de um animal reintroduzido com um animal selvagem por si só já representa um avanço no processo de readaptação do peixe-boi reintroduzido ao ambiente natural. E se existe a possibilidade de ocorrer a cópula há uma chance de resultar numa gestação, o que significaria um avanço muito importante para os trabalhos de reintrodução de peixes-bois marinhos realizados no Brasil e principalmente para a conservação da espécie. Na região da Barra de Mamanguape, por exemplo, seria o primeiro caso de gestação de um peixe-boi marinho reintroduzido”, explica o pesquisador e médico veterinário João Carlos Gomes Borges, coordenador do PVPBM. Mel continuará sendo monitorada pela equipe do PVPBM, que está na torcida para que dê tudo certo.

Mel tem 14 anos, é uma fêmea considerada adulta. Ela foi encontrada ainda filhote encalhada numa praia em Ponta Grossa, no Ceará, em março de 2004, e foi encaminhada para a Aquasis. Em abril deste mesmo ano, Mel foi transferida para o Centro Mamíferos Aquáticos, em Itamaracá (PE), onde recebeu cuidados e permaneceu por 4 anos. Em 2008, Mel foi transferida para a APA da Barra do Rio Mamanguape, onde ficou em um cativeiro em ambiente natural e, após um período de adaptação, foi reintroduzida no estuário para vida livre.

Ao se deparar com um peixe-boi marinho, não toque e nem alimente. Apenas admire de longe. O Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho – uma estratégia de conservação e pesquisa para evitar a extinção desta espécie no Nordeste do Brasil – é realizado pela Fundação Mamíferos Aquáticos e patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Foto: José Costa, também conhecido como "Zé de Dark".