Uniformes do Projeto Viva o Peixe-Boi-Marinho são feitos com reaproveitamento de materiais que iriam para o lixo

Repensar, reduzir, reutilizar, reciclar são premissas básicas para os dias de hoje. O Projeto Peixe-Boi-Marinho tem mergulhado cada vez mais no compromisso com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e com a Década do Oceano, estabelecidos pela Organização das Nações Unidas. Para tanto, além das atividades que executa em prol da conservação da espécie e de seu habitat, tem buscado soluções ecoeficientes para o dia a dia que gerem o menor impacto possível no meio ambiente. Desta forma, encontrou no Recife (PE) uma iniciativa chamada A Roda, que propiciou que os uniformes do Projeto fossem produzidos com tecidos de refugos de fábrica e com reaproveitamento de materiais que iriam para o lixo.

As mochilas, por exemplo, são feitas com material de airbag (de uma fábrica de veículos) que ia ser descartado. E tudo isso com a garantia de qualidade do produto. A Roda trabalha com moda sustentável, upcycling, design circular e autoral, respeitando as questões da humanização no ambiente de trabalho e da valorização da mulher. As peças também vieram sem saquinhos de embalagem, dispensando o uso do plástico. Um passo importante para tornar o trabalho do Projeto cada vez mais ecoeficiente e comprometido com a conservação do meio ambiente.

 


O Projeto Viva o Peixe-Boi-Marinho - realizado pela Fundação Mamíferos Aquáticos em parceria com a Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental - é uma estratégia de conservação e pesquisa para evitar a extinção desta espécie no Nordeste do Brasil. Atua nas áreas de pesquisa, tecnologia de monitoramento via satélite, manejo, educação ambiental, desenvolvimento comunitário, fomento ao turismo eco pedagógico e políticas públicas. Conta com o apoio do Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Monitoramento Ambiental da Universidade Federal da Paraíba.