O Projeto


O Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho, realizado pela Fundação Mamíferos Aquáticos,  é uma estratégia de conservação e pesquisa para evitar a extinção do peixe-boi  (Trichechus manatus) na região Nordeste do Brasil. 

Foi desenvolvido com referenciais de estratégias nacionais e internacionais para a conservação dos sirênios e apresenta ações inovadoras que vão além do desenvolvimento de pesquisa e tecnologia, contemplando, também, as esferas da educação ambiental, sustentabilidade, desenvolvimento comunitário, fomento ao turismo eco pedagógico,  políticas públicas, promoção da cidadania e inclusão social nas áreas de ocorrência da espécie. 
 

O Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho está em atividade no litoral paraibano, desde 2013, com uma base executora na Barra de Mamanguape (PB) e também com unidades de apoio nos estados de Pernambuco, Sergipe e Bahia.




Atividades - Fase 1 (2013 a 2017)

<> Mapeamento, caracterização das áreas de forrageio (fanerógamas marinhas e macroalgas) e dos impactos nos locais de alimentação dos peixes-bois marinhos;

<> Diagnóstico dos indicadores de contaminação aquática no estuário da Barra do Rio Mamanguape;


<> Diagnosticar as principais enfermidades e as causas mortis dos peixes-bois marinhos;


<> Apoio e participação em projetos de pesquisas acadêmicas para ampliação do conhecimento e conservação do peixe-boi marinho;


<> Disseminação, intercâmbio do conhecimento científico e aprimoramento profissional;


<> Desenvolvimento e difusão de tecnologia inovadora aplicada ao monitoramento de peixes-bois marinhos;


<> Realização de ações de Educação Ambiental e campanhas temáticas de sensibilização e informação sobre o peixe-boi marinho;


<> Promoção do Desenvolvimento das mulheres da Barra de Mamanguape.





Fotos: Acervo FMA
Foto do peixe-boi marinho: Luciano Candisani/Acervo FMA


Atividades - Fase 2 (2018 aos dias atuais)

RESGATE
O Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho atua no resgate de animais que encalham nas praias da Paraíba, Sergipe e litoral norte da Bahia, sendo estes eventos decorrentes da presença de filhotes neonatos, animais feridos ou com alguma enfermidade. Trabalhamos diariamente e disponibilizamos contatos para acionamentos: (83) 99961.1338 - (83) 99961.1352 (whatsapp) - (79) 99130.0016. Os animais resgatados são encaminhados para centros de reabilitação e todos os registros de encalhes
são inseridos no Sistema de Apoio ao Monitoramento de Mamíferos Marinhos - SIMMAM (http://simmam.acad.univali.br/site), o qual serve como uma plataforma de acesso e consulta aos diversos interessados da sociedade.

REINTRODUÇÃO E MONITORAMENTO
Uma das ações prioritárias do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Peixe-Bois Marinhos é a reintrodução e o monitoramento dos peixes-bois marinhos reabilitados. Após passarem pela etapa de reabilitação, os filhotes resgatados são transferidos para um cativeiro em ambiente natural, na APA da Barra do Rio Mamanguape, litoral norte da Paraíba, onde permanecem durante alguns meses em processo de readaptação e, quando aptos, são reintroduzidos ao seu habitat. Já em ambiente natural, estes animais são monitorados e acompanhados diariamente, um requisito fundamental para verificar a sua adaptação ao ambiente natural. A ideia é que estes animais voltem a utilizar áreas de ocorrência histórica, reconectar subpopulações isoladas e contribuir para o sucesso reprodutivo da espécie.

DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS EM PROL DA CONSERVAÇÃO DA ESPÉCIE

>> TECNOLOGIA DE MONITORAMENTO SATELITAL 
Trata-se de uma tecnologia inédita no Brasil, desenvolvida pela Fundação Mamíferos Aquáticos em parceria com a Nortronic - Sistemas Eletrônicos do Nordeste, com o objetivo de localizar mais facilmente os animais por meio de radiotransmissor satelital, auxiliando o monitoramento da espécie e proporcionando mais efetividade na realização de atividades voltadas para a conservação do peixe-boi marinho.

>>TECNOLOGIA DE MONITORAMENTO COM “LoRaWan”
De forma inédita para o monitoramento dos peixes-bois marinhos no mundo, encontra-se em processo de concepção o emprego da tecnologia “LoRaWan”. Dispondo de arquitetura comparável a de telefonia celular, com distribuição em estrela ou ponto a ponto, possibilita que sejam cobertas vastas áreas, sem a necessidade de fazer uso de sistemas satelitais de alto custo. Um sistema que será concebido no Brasil pelo Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho. A partir desta alternativa tecnológica, espera-se a redução de custos nas atividades relacionadas ao monitoramento de espécimes reintroduzidos.

PESQUISAS CIENTÍFICAS E ACADÊMICAS
O Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho possui parcerias firmadas com Universidades e Centros de Pesquisas, possibilitando intercâmbios didáticos e científicos, em níveis de graduação e de pós-graduação, que incentivam a criação de linhas de estudo relacionadas aos peixes-bois marinhos,
bem como a realização de projetos conjuntos de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e de extensão.


DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO
No âmbito do compartilhamento do conhecimento científico adquirido, os resultados do Projeto são sempre divulgados em congressos científicos, periódicos de circulação nacional/internacional e palestras em Centros Universitários e Institutos de Pesquisa.

CAMPANHAS DE SENSIBILIZAÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE OS PEIXES-BOIS MARINHOS
Somente com a participação da sociedade é possível conseguir avanços na conservação do peixeboi
marinho no Brasil. Paralelamente às atividades de campo e pesquisa, o Projeto Viva o Peixe-Boi
Marinho investe constantemente em campanhas informativas e de sensibilização e engajamento
social. As campanhas percorrem as principais áreas de ocorrência dos peixes-bois marinhos e
os educadores ambientais coletam informações sobre a espécie, realizam rodas de conversas
e/ou palestras com grupos de interesse (associações comunitárias, colônia de pescadores, escolas,
lideranças comunitárias). Nestas ocasiões, são distribuídos materiais de educação ambiental
e divulgação de ações para conservação do peixe-boi marinho.

REALIZAÇÃO DE EVENTOS CULTURAIS E ESPORTIVOS
Uma festa bem raiz, animada e com muita conscientização ambiental. O Forró do Peixe-Boi é uma estratégia de sensibilização e envolvimento comunitário que visa colaborar para a conservação do peixe-boi marinho e de seu habitat. O evento resgata as tradições locais e promove a realização dos interesses comunitários, por meio de atividades esportivas e artísticas.

CINE PEIXE-BOI
O Cine Peixe-Boi faz parte das ações de Educação Ambiental do Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho. É protagonizado por jovens das comunidades da APA da Barra do Rio Mamanguape (PB) e a proposta é
sensibilizar o público sobre a importância da conservação do peixe-boi marinho e do meio ambiente, levando a cultura do audiovisual a comunidades, distantes dos grandes centros urbanos, que não possuem acesso a cinema.

FOMENTO AO TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA
Como estratégia de conservação da espécie, o Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho, em conjunto com a APA da Barra do Rio Mamanguape/ICMBio, incentiva ações de base comunitária voltadas para o desenvolvimento do turismo de observação dos peixes-bois marinhos. O Projeto percebe que, a partir do envolvimento com esta atividade, pescadores e moradores locais tornam-se mais engajados com a estratégia de conservação da espécie e a visita de turistas interessados pelo tema na região possibilita ampliar a sensibilização sobre a importância de se conservar os peixes-bois marinhos.

POLÍTICAS PÚBLICAS
Para promover a conservação do peixe-boi marinho e de seu habitat, o PVPBM participa de fóruns ambientais e reuniões temáticas, propiciando a elaboração de propostas de políticas públicas relacionadas à conservação marinha e sua implementação. A equipe do Projeto faz parte de conselhos de Unidades de Conservação (federais, estaduais e municipais), Conselhos de Meio Ambiente, Comitês de Bacia Hidrográfica, Comissão Técnica de Gerenciamento Costeiro, Plano de Ação de Espécies Ameaçadas e Redes de Encalhes de Mamíferos Aquáticos.

ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO
A estratégia de comunicação planejada tem como proposta servir também como uma ferramenta de
divulgação das ações desenvolvidas em prol da espécie e contribuir para a conservação marinha, favorecendo a sensibilização da sociedade e estimulando a prática de ideias, hábitos, valores e comportamentos que visem o equilíbrio do meio ambiente. Neste contexto, estão previstas atividades permanentes de assessoria de imprensa, comunicação e de design gráfico, como forma de proporcionar maior interação com os veículos de comunicação e garantir o fluxo constante na produção de releases, materiais informativos e de divulgação (cartazes, vídeos, etc) física e virtual. Estas ações são direcionadas aos formadores de opinião, gestores públicos, turistas, dirigentes de empresas, professores, estudantes, pescadores e comunidades litorâneas. Além disto, como forma de estabelecer uma comunicação interativa com a sociedade, constantemente as notícias sobre o Projeto são divulgadas no
site, redes socias e por meio da Revista A Bordo.


EQUIPE
A equipe técnica do projeto é composta por profissionais de diferentes áreas de formação (veterinários, biólogos, ecólogos, oceanógrafos, turismólogos, engenheiros eletrônicos, administradores, comunicadores sociais, entre outros), com vasta experiência profissional, acadêmica e de conhecimento tradicional, contemplando assim um aspecto multidisciplinar. Estes profissionais contam ainda com todo o suporte Institucional da Fundação Mamíferos Aquáticos, agregando assim, o maior respaldo para a execução das iniciativas previstas.