Projeto lança vídeo para proteger peixes-bois marinhos de atropelamentos causados por embarcações motorizadas

Tem sido uma preocupação constante os casos de peixes-bois marinhos atropelados por embarcação motorizada no Nordeste do Brasil. Em março deste ano, entre o litoral sul de Sergipe e norte da Bahia, “Astro”, o primeiro peixe-boi marinho a ser reintroduzido no país, foi mais uma vítima deste tipo de ocorrência e ficou bastante ferido no acidente, com marcas por todo o corpo ocasionadas por hélice e casco de embarcação. Atropelamentos podem machucar, mutilar e até matar os animais.  O objetivo do vídeo, produzido pelo Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho – realizado pela Fundação Mamíferos Aquáticos (FMA) e patrocinado pela Petrobras -, é sensibilizar a população sobre o tema, de uma forma leve e informativa, tendo como personagem principal Puã, um peixe-boi marinho reintroduzido bastante conhecido na região da Área de Proteção Ambiental da Barra do Rio Mamanguape, litoral norte da Paraíba, que também já foi vítima de atropelamento. 

Mais um peixe-boi marinho é vítima de atropelamento por embarcação motorizada no Nordeste


Não faz nem três meses que “Astro”, o primeiro peixe-boi marinho reintroduzido no Brasil, foi vítima de um atropelamento por embarcação motorizada, entre o litoral sul de Sergipe e norte da Bahia. Agora, para aumentar ainda mais a preocupação de pesquisadores e de todos os que trabalham para a conservação da espécie no Nordeste do Brasil, outro peixe-boi marinho com histórico de reintrodução foi vítima deste mesmo tipo de incidente. Desta vez, foi “Puã”, um animal carismático e bastante conhecido no litoral norte da Paraíba. Os técnicos do Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho o encontraram na região de Cabedelo (PB), com lesões (profundas e intercaladas) no corpo ocasionadas por colisão com casco e principalmente com hélice de embarcação.